Cassoulet

Especialidade do Languedoc, o cassoulet é também apreciado em todo o sudoeste francês. Este cozido famoso à base defeijão branco, onde se incorporam confit de pato, ganso, embutidos de porco, além de eventualmente partes de cordeiro e perdiz, exige uma longa preparação. É muitas vezes citado como a feijoada francesa. É um prato típico de inverno, robusto e de sabores pronunciados.


Ingredientes:

1/2kg de feijão branco

01 cebola inteira

05 dentes de alho

01 cenoura

03 talos de salsão

05 tomates picados

02 cebolas picadas

01 xicara de salsinha picada

05 colheres de sopa de azeite de oliva

10 dentes de cravo

04 coxas com sobrecoxa de pato

1/2 kg de bacon sem muita gordura

300g de paio

03 folhas de louro

01 galho de alecrim

sal grosso


Modo de fazer:

Tempere as coxas de pato como sal grosso e o galho de alecrim por 10 horas.

Depois frite as coxas e sobrecoxas do pato até que esteja cozida.

Coloque  o feijão para cozinhar com água suficiente com a cebola espetada com os cravos.

Adicione as folhas de louro a cenoura cortada em cubos, o salsão em cubos e os tomates.

Verificando sempre a textura do grão do feijão. Até que o feijão esteja cozido (sem desmanchar). Reserve.

Frite o paio e o bacon e junte tudo isso às coxas fritas e ao feijão cozido.

Em uma panela frite o alho e a cebola com azeite e acrescente ao feijão.

Finalize com a salsinha picada, coloque em uma travessa de barro, e sirva quente.


Harmonização

Os tintos potentes e rústicos das apelações Madiran (uva Tannat) e Cahors (uva Malbec) são sempre lembrados para a harmonização. Apelações do Midi como Corbières e Minervois também são clássicas, envolvendo uvas como a Syrah, Grenache, Mourvèdre e Carignan.

De fato, o prato além de encorpado e robusto, tem suculência e gordura dissolvida no próprio caldo. A textura cremosa do  feijão branco reforça a escolha de um vinho mais encorpado. Taninos e acidez são componentes benvindos neste contexto e justificam as escolhas acima citadas.

Apesar de grandes Bordeaux e grandes tintos do Rhône preencherem os requisitos para a harmonização, o fator tipologia do prato prevalece. Frente a robustez e rusticidade do prato, é sempre um desperdício abrirmos uma grande garrafa, onde a finesse e sutileza de aromas serão sobrepujados.

Do Novo Mundo, tintos encorpados dos principais varietais, são adequados.Podemos optar por um vinho medianamente encorpado, jovem, tanicidade moderada e de boa acidez.

              

  Sugestões:


01.  CHÂTEAU MONTUS

Uva: Tannat (80%) e Cabernet Sauvignon (20%)

Produtor: Alain Brumont

País: França

Região: Sud-Quest Madiran

Safra: 2006

Teor Alcoólico: 14%

Amadurecimento: 12-14 meses em barricas de carvalho francês novas (30%) e de um ano (70%), de 225 litros de capacidade.

Estimativa de Guarda: 15 anos ou mais

Temperatura de Serviço: 20°C. Decantação recomendada.

Visual: Coloração púrpura intensda

Nariz: Expressão de frutos negros maduros, torrefação, couro e notas minerais

Boca: Robusto, taninos presentes e grandiosos, moderadamente fresco e ótimo volume. Persistência longa e saborosa.


02.   LA CAPRA PINOTAGE

Uva: Pinotage

Produtor:  Fairview

País:  África do Sul

Região:  Paarl, Agter-Paarl e Swartland, Coastal

Safra: 2009

Teor Alcoólico: 14%

Amadurecimento: 8 meses em barricas de carvalho

Estimativa de guarda: 2 a 5 anos

Visual: Coloração rubi profundo e intenso com nuances violeta. Lagrimas densas e finas.

Nariz: Aromas intensos de ameixa madura, frutas vermelhas - cereja - e chocolate. Notas de cedro, pimenta do-reino,especiarias e tostado.

Boca: Taninos macios e acidez equilibrada, frutado e com bom corpo.  Final de boca médio e saboroso.


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!