Conceito Bastardo

Bastardo: um vinho amor-ódio. É assim que a produtora descreve um dos seus vinhos do projeto Conceito, o Conceito Bastardo 2015 já está no mercado com apenas cinco mil garrafas disponíveis. O Bastardo, herdeiro do nome de uma das castas mais misteriosas do Douro, atualmente em vias de extinção, é um dos vinhos de Rita Marques, enóloga responsável pelo projeto dos vinhos Conceito, e de acordo com os responsáveis pelo projeto “são a extensão da sua própria irreverência”, a que a enóloga chama uma “brincadeira séria”, que começou em 2007.

As uvas bastardos eram as primeiras a nascer nas videiras e as primeiras a serem provadas, na ânsia de antecipar a qualidade da colheita. Contudo, o bago pequeno e a sua maturação precoce, efeitos da má adaptação a climas quentes e secos, não lhe permitiam produzir em quantidade, tendo sido usadas, durante muito tempo, como complemento a outros vinhos para lhes conferir aromas, condimento e qualidade. Rita Marques, teve a audácia, que lhe serviu de motivação para desafiar as potencialidades da casta e as primeiras conclusões foram difíceis: este seria um vinho polémico, que despertaria amores e ódios por onde passasse, independentemente do conhecimento ou experiência que se tivesse sobre a matéria. A imagem do Conceito Bastardo acompanha-lhe o mistério, com um rótulo sugestivo assinado pelo artista João Noutel, que faz uma alusão divertida ao significado literal do nome da casta.

 

Uva: Bastardo

Safra: 2015

Produtor: Conceito vinhos

País: Portugal

Região: Douro

Teor alcoólico: 13,5%

Temperatura de serviço: 140C a 160C

Sugestão de guarda: Não dá para saber ao certo, pois este é um vinho que mais ninguém faz.  A evolução das primeiras colheitas tem sido surpreendentemente positiva. Tenho ainda 08 garrafas, que pretendo degustar uma por ano até 2025, para poder sentir os resultados, pois quem sabe as surpresas que cada garrafa poderá nos proporcionar.

Vinificação: As uvas são trasnportadas para a vinícola em pequenas caixas (25 Kg), sendo então colocadas no lagar onde são pisadas a pé. Ao término da fermentação alcoólica o vinho é imediatamente levado para as barricas

Amadurecimento: Estagia por 10 meses em barricas velhas de carvalho francês.

Visual: Coloração mais delicadas que o habitual, semelhante a um rosé mais escuro, límpido e brilhante. branca.

Olfativo: Aromas bem definidos de cerejas frescas e pimento branca. Notas  de folhas frescas, rosas, pimenta branca, alcaçuz, cravo, ervas aromáticas.

Gustativo: Na boca brinda-nos com uma acidez presente, taninos suaves e final longo. É também um vinho encorpado, complexo, fresco e elegante, com uma excelente aptidão gastronômica.

 

Harmonização: Acompanha bem carnes brancas, sushi e comida oriental. Eu tive a grata satisfação de prová-lo com pão e azeite, lembrando finais de tardes memoráveis com meus familiares, onde o bom pão portugues regado pelos sabores e aromas de um excelente azeite, serviam de caminhos para se degustar um vinho da terrinha. 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!