Envelhecendo no Fundo do Mar

Envelhecendo no Fundo do Mar

 

Talvez você ainda não tenha ouvido falar em vinhos que envelhecem sob as águas, no fundo do mar. Excentricidade? Talvez. Mas o assunto, além de pitoresco, é bem interessante. Vai valer a pena ler!

Algumas vinícolas ao redor do mundo, após a produção do vinho e seu engarrafamento, têm testado um processo bastante peculiar de envelhecer seus melhores vinhos, por alguns ou por muitos meses: no fundo do oceano mais próximo! Esquisito? Pode ser. Mas faz sentido. Acompanhe...

O mar profundo mantém a temperatura do vinho baixa e constante, enquanto a maré movimenta suavemente as garrafas depositadas no fundo do oceano. A alta pressão do ambiente sob as águas, a escuridão, a “baixa gravidade” gerada pelo empuxo... parecem condições bem interessantes para o desenvolvimento do vinho, para que ele nos ofereça o seu melhor potencial.

E como surgiu essa ideia? Ao que consta, um dos primeiros casos aconteceu com um produtor da Riviera Italiana, há alguns anos, que confrontou-se com o problema de não possuir espaço suficiente para o envelhecimento de seu espumante, produzido pelo método clássico. Depois de negociações com o Ministério da Agricultura italiano, e com o apoio de cientistas da Universidade de Gênova, garantindo que não haveria impacto ambiental, o produtor conseguiu as autorizações necessárias para o experimento.

Sendo assim, 6.500 garrafas foram depositadas a 200 m de profundidade, em gaiolas de aço inoxidável, por 13 meses. O resultado foi surpreendentemente tão positivo, que, desde então, a prática passou a ser testada e adotada por alguns outros produtores, na França, Espanha, Grécia, Estados Unidos... Ah, e também já existem vinícolas realizando o envelhecimento de interessantes vinhos, com sucesso, no fundo de grandes lagos ou rios.

Embora essa possa ter sido a primeira vez na história que ocorreu, propositalmente, um processo de envelhecimento subaquático do vinho, o conceito não é novo. Garrafas de vinho recuperadas de naufrágios muitas vezes resistem com perfeição ao fundo do mar. Um exemplo recente aconteceu na Finlândia em 2010, quando mergulhadores resgataram 79 garrafas de Champagne tão espetaculares, que foram vendidas por mais de 10 mil dólares cada. Uma delas, do século 19, foi vendida por 30 mil dólares, um dos valores mais altos já pagos por uma garrafa de Champagne.

Talvez esse seja somente um modismo. Talvez seja o início de uma nova etapa na história de Baco. Mas, de qualquer forma, beber um vinho que foi envelhecido sob as águas tem seu charme... Assim como um tesouro resgatado do fundo do mar! Ou de uma cápsula do tempo!


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!