Frente parlamentar quer reduzir carga tributária sobre produção de vinhos

Nilson Bastian


Frente parlamentar quer estimular produção de uva e vinho e reduzir impostos sobre o setor Segundo Paviani, cerca de 700 mil toneladas são utilizadas para fabricação de sucos, vinhos e espumantes. O restante é utilizado na produção dos chamados derivados, como destilados de vinhos, de bagaço de uva fermentado e vinagres.

A declaração foi feita durante o lançamento da Frente Parlamentar de Defesa e Valorização da Produção Nacional de Uvas, Vinhos, Espumantes e Derivados da Câmara dos Deputados.

O representante do Ibravin destacou que o setor está crescendo e se qualificando no Brasil. Hoje, pelo menos 12 estados já estão envolvidos com a produção de vinhos, uvas e seus derivados.

"Um produto que é referencial são os espumantes, que têm ganhado premiações no mundo inteiro por sua qualificação e sua excelente relação custo benefício, principalmente aquele produzido na região Sul e no Vale do São Francisco", informou Paviani. Ele acrescentou que o produto brasileiro tem frescor e sabor de fruta, e combina o clima local.


Altos tributos

O deputado Mauro Pereira (PMDB-RS) será o coordenador da frente parlamentar. Ele afirmou que o objetivo da frente é defender o setor da alta carga tributária, uma vez que os impostos sobre o vinho chegam a até 50% do valor do produto.

"Hoje nós temos vinhos importados que chegam ao Brasil competindo com nossos vinhos justamente devido às vantagens que encontram na importação. Nossos produtores são pequenos produtores, da agricultura familiar", lembrou o deputado.



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!