Pinto Bandeira

 

Ainda pouco conhecida pelos enófilos em geral Pinto Bandeira é um municípo do estado do Rio Grande do Sul. Até 31de dezembro de 2012 foi um distrito de Bento Gonçalves, ascendendo à categoria de município com a posse de seus representantes em 1° de janeiro de 2013.

Os pioneiros imigrantes italianos que chegaram ao atual território de Pinto Bandeira instalaram-se nas Linhas Palmeiro e Jansen da então Colônia Dona Isabel, primeiro nome do município de Bento Gonçalves. A primeira ação que se impôs foi a de abrir uma clareira na mata fechada, derrubando árvores centenárias, onde construíram, provisoriamente, uma rústica choupana, plantaram o milho para fazer a polenta e se sustentavam com a coleta e a caça na floresta. Depois desses primeiros imigrantes, muitos outros vieram de várias regiões da Itália, mas também poloneses, suecos, espanhóis e luso-brasileiros. Com muito trabalho e fé semearam trigo, cultivaram videiras, fizeram pão, vinho, salame e queijo.

Com clima agradável, natureza exuberante, muita tranquilidade e ar puro, Pinto Bandeira oferece ao seu visitante um cenário de belezas naturais junto à tradicional hospitalidade da cultura italiana.

Localizada em um dos pontos mais belos da Serra Gaúcha, entre o Rio das Antas e o Rio Buratti, Pinto Bandeira conta com altitudes que variam de 150 a 800 metros. O relevo montanhoso, o clima, o solo e a localização possibilitam às frutas da cidade uma maturação mais lenta e com ótimos níveis de qualidade nos aspectos de cor, sabor e textura.

Reconhecido como a capital brasileira do pêssego, com a colheita de aproximadamente 20 milhões de quilos/ano, o mais novo município gaúcho também produz para consumo in natura grandes quantidades de ameixa, caqui, nectarina, maçã, laranja e bergamota — encontradas por todo o caminho florido que leva até Pinto Bandeira.

A cidade é também consagrada por suas uvas, vinhos e espumantes de alta qualidade — possuindo, inclusive, Indicação de Procedência Geográfica, concedida pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI).

Em 29 de junho de 2001 foi criada a Associação dos Produtores de Vinhos de Pinto Bandeira (Asprovinho) visando proteger a natureza, a cultura local, os produtores de vinho e, sobretudo, preservar a qualidade e afirmar a identidade dos vinhos e espumantes produzidos no local.

A experiência de mergulhar no mundo do vinho pode ser vivida integralmente em Pinto Bandeira. O enoturismo é uma das atividades das vinícolas, desde uma visita com degustação conduzida por profissional até a hospedagem em pousada onde, da decoração à paisagem que se descortina da janela, a vitivinicultura é o principal motivo para conviver e usufruir de bem estar.

 

VINÍCOLAS

 

DON GIOVANNI

Distante 12 km do centro de Bento Gonçalves, em altitude de 720m, a "granja" Don Giovanni, como é chamada pelos seus proprietários, tem uma história de elaboração de vinhos de mais de 40 anos. Antes de ser adquirida pelo casal Ayrton Giovannini e Beatriz Dreher Giovannini, a propriedade pertencia à Dreher S.A., indústria de bebidas estabelecida na região em meados do Século XX e que pertencia aos avós paternos de Beatriz. A Dreher deixou fortes influências na história econômica e social do município de Bento Gonçalves.

Na época em que pertencia à Dreher, cujo diretor industrial era o atual proprietário, Ayrton Giovannini, a granja Don Giovanni funcionava como uma espécie de estação experimental no desenvolvimento de uvas viníferas e de vinificação. Neste local, em 1972, foi feito o primeiro envelhecimento de vinho em barril de carvalho (bordalezas de 240 litros), prática ainda não utilizada no país até então. Elaborado de um corte das uvas Cabernet Franc, Merlot e Gammay, se caracterizava como um vinho tinto bem encorpado, tânico, com graduação alcoólica elevada para a época (cerca de 12% Vol.) e com acentuado paladar de carvalho. A Dreher deu a esse vinho o nome de "Marjolet".

Depois de adquirir a propriedade, em 1982, o casal a transformou em local de veraneio, mas conservou parreirais e equipamentos para continuar a elaborar vinhos. Como agrônomo, ex-professor da Escola de Enologia (hoje CEFET), Ayrton Giovannini sempre esteve ligado às plantações e à produção de bebidas fermentadas. É um apaixonado pelo cultivo da uva e pela elaboração de vinho. Por isso, faz questão de deixar sua marca pessoal na elaboração dos produtos Don Giovanni.

Hoje, a quarta geração da família, se dedica à produção de bebidas de alta qualidade. Prova que, por trás da marca Don Giovanni, existe tradição e conhecimento na elaboração de vinhos.
 
 
Linha Amadeu, s/nº, Km 12 
Estrada para Pinto Badera

Fones: (54) 3455-6293 / 3455-7377


dongiovanni@dongiovanni.com.b

https://www.dongiovanni.com.br/

 

 

VÍNICOLA POMPÉIA

As primeiras sementes da Cooperativa Pompéia foram lançadas em 1965. A idéia foi lançada por um grupo de 33 produtores, que preocupados com o destino da produção de uva, em função do fechamento de um posto de vinificação da Companhia vinícola RioGrandense, resolveram fundar a cooperativa. O assunto foi discutido entre os produtores de uva da localidade, culminando com a constituição da Cooperativa Viti-Vinícola Pompéia Ltda, com o registro de 59 associados conforme Ata numero 1, da Assembléia Geral de Constituição de 3 de maio de 1965.

O quadro de associados foi aumentado conforme a necessidade de atender os produtores da região, que devido a distância da sede do município e da precariedade dos meios de transporte encontravam-se desamparados.

 

Diante disso, em 10 de janeiro de 1966 a diretoria decidiu admitir novos associados. A partir daí, o desenvolvimento foi inevitável. Já no segundo ano de existência em 1967, surgiu a necessidade de locação de pipas junto a Cia Mônaco, que gentilmente atendeu a solicitação a fim de aumentar a capacidade de estocagem, em razão do aumento da produção. A marca Pompéia começa a ser conhecida no mercado em 1967, quando a cooperativa adquire um filtro e equipamentos para engarrafamento de vinhos. O objetivo era aumentar a lucratividade, já que a venda a granel não oferecia condições para que a cooperativa se firmasse no mercado.

 

Dois anos mais tarde em 1969, surge novamente a necessidade de ampliar o número de pipas, além de comercializar vinho a granel para a Dreher S/A. A cada ano, a produção de uva aumentava, refletindo, inclusive em reformas e construção de um prédio para a área administrativa, fato ocorrido em 1972.

A partir de 13 de dezembro de 1980, aportados pela resolução 01 do CNC, a Cooperativa começou a comprar uvas de terceiros, pois a produção dos cooperativados não supria toda a necessidade da Pompéia.

O período entre 1983 e 1990 foi marcado pela ampliação do parque industrial e a aquisição de equipamentos que garantissem uma maior competitividade.

O ano de 1991 marca um importante período da história da Cooperativa Pompéia. Um dos grandes passos foi a compra de uma concentradora para competir no mercado de sucos.

Atualmente a Cooperativa conta com 260 associados, a Cooperativa Pompéia chega no século XXI cumprindo seu dever:  Trabalhar em prol do desenvolvimento de uma comunidade que busca a qualidade de seus produtos, atualização das técnicas de plantio e elaboração de vinhos, bem como o sucesso de seus cooperados.

 

 

Rua 7 de Setembro, 362
Pinto Bandeira


Fones: (54) 3468-0080 / 3468-0081


pompeia@vinicolapompeia.com.br

https://www.vinicolapompeia.com.br/

 

 

VINÍCOLA VALMARINO

Uma Família de origem Italiana e centenária, onde pela tradição e vocação, Orval Salton e filhos criaram o Estabelecimento Vinícola Valmarino em 1997. O nome homenageia os antepassados oriundos de Cison de Valmarino, Treviso - Itália.
       Por ser uma empresa familiar, com produções limitadas, tem como meta principal a elaboração, com qualidade, de vinhos e espumantes diferenciados, que possibilitam prazer e satisfação a seus apreciadores. Utilizam a tecnologia e os cuidados artesanais como ferramentas principais para revelar a qualidade das uvas e buscar o equilíbrio e a complexidade de nossos produtos.
  Cultivam atualmente 16 ha de vinhedos aos quais são aplicadas técnicas necessárias para a obtenção de uvas sãs e de plena maturação.

 

 

Linha Jacinto Sul, Lote 01
Pinto Bandeira


Fones: (54) 3452-2135 / 9974-3030 / 3455-7474


valmarino@valmarino.com.br

https://www.valmarino.com.br/

 

 

VINÍCOLA GIESSE

A Vinícola Geisse foi fundada em 1979 pelo engenheiro agrônomo e enólogo Mario Geisse, chileno que veio para o Brasil em 1976 contratado para dirigir a Moët & Chandon do Brasil. Logo nos primeiros anos percebeu que aqui existia um potencial incrível e ainda não desvendado para se desenvolver a elaboração de produtos de alta qualidade, principalmente em matéria de espumantes, o qual ele considerava ser a grande vocação da região.

Desde então passou a investigar qual seria o local mais apropriado para plantar seus vinhedos e obter o padrão mais elevado possível em matéria prima, Geisse então deparou-se com a região de Pinto Bandeira, distrito de Bento Gonçalves, hoje conhecido como região dos Vinhos da Montanha, ai ele identificou todas as características consideradas ideais para iniciar seus trabalhos, como boa altitude (800m), solo com excelente drenagem, boa amplitude térmica e posição solar ideal, tudo para que pudesse seguir em busca de seu principal objetivo, que era o de desvendar o real potencial de qualidade que a região poderia oferecer, para isto renunciou as grande produções do método de cultivo vigente na região - latada - e optou pelo de espaldeiras altas, com produções menores, mas de melhor qualidade, aliando conhecimento, tradição e técnica.

Hoje na Geisse tudo é voltado na busca da qualidade, sendo uma vinícola extremamente preocupada dos detalhes em cada fase do processo, partindo da matéria prima. Toda essa dedicação hoje é recompensada com o alto padrão de qualidade atingido pelos produtos elaborados. Tendo como principal característica o máximo respeito ao estilo próprio de vinhos que este país pode oferecer; Seu ícone, o espumante Cave Geisse considerado pelos experts como o melhor espumante do Brasil, hoje pode ser encontrado apenas nos melhores restaurantes e lojas especializadas do Brasil. 

 

 
 
Linha Jansen, s/nº
Estrada para Pinto Bandeira


Fones: (54) 3455-7461 / 3455-7463


turismo@vinicolageisse.com.br

https://www.vinicolageisse.com.br/

 

 

COOPERATIVA VINÍCOLA AURORA

 

A história da AURORA inicia em 1875, com a chegada de imigrantes oriundos do norte da Itália. Estabelecidos no Sul do Brasil, na Serra Gaúcha, onde encontraram paisagens e clima similares aos de seu país de origem. Assim, os hábitos e a cultura européia não foram abandonados, e a antiga arte da vitivinicultura logo foi retomada.

No dia 14 de fevereiro de 1931, dezesseis famílias de produtores de uvas do município de Bento Gonçalves, na Serra Gaúcha, reuniram-se para lançar a pedra fundamental do que viria a se transformar no maior empreendimento do gênero no Brasil: A COOPERATIVA VINÍCOLA AURORA. Um ano mais tarde, já contabilizava a produção coletiva de 317 mil quilos de uvas e fixava a base de um empreendimento destinado a ser não apenas o maior, mas também um dos mais qualificados tecnologicamente.

Hoje, bem no coração de Bento Gonçalves, a Vinícola Aurora é a maior do Brasil. Mais de 1.100 famílias se associaram à cooperativa, sendo a produção orientada por técnicos que, diariamente, estão em contato com o produtor – fornecendo toda a assistência necessária. A equipe técnica se responsabiliza pelo acompanhamento permanente do processo industrial e pela qualidade final dos produtos, sempre com a atenção voltada para o desenvolvimento de uma tecnologia de ponta.

A conquista da posição que ocupa há mais de duas décadas foi possível graças à constante modernização de seu parque industrial, à alta tecnologia de suas unidades e aos rigorosos padrões exigidos nos processos de produção. O cuidado extremo com a rotina produtiva, observado a partir da plantação das mudas ao engarrafamento do produto, faz parte da receita de crescimento constante do empreendimento durante todos esses anos.

 

 

Rua Olavo Bilac, 500
Bento Gonçalves
Fones: (54) 3455-2095 / 3455-2051
turismo@vinicolaaurora.com.br 
https://www.vinicolaaurora.com.br/
 
 

 

VINÍCOLA TERRAÇAS - MONTANHA DO VALE

Apesar de chamar-se Vinícola Terraças, a pequena empresa familiar não produz vinho, focando sua atenção somente no suco de uva. Por ano, são 60 mil litros elaborados no município de Pinto Bandeira, na Serra Gaúcha. Aliás, a cidade é uma das poucas zonas produtoras que conquistaram Indicação de Procedência (IP) no Brasil, certificação que atesta a qualidade única dos produtos feitos lá. 

 

 

Linha Jansen, s/nº, Km. 04
Estrada para Pinto Bandeira


Fones: (54) 3455-6214 / 9977-3364


montanhadovale@gmail.com

 

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!