QUANDO DECANTAR?

QUANDO DECANTAR?

 

    A decantação surgiu com um caráter prático: separar o vinho de sedimentos que se formaram na garrafa ao longo do tempo. Mas o que começou por necessidade, ganhou ares de ritual, quando percebemos que o vinho pode se beneficiar desse processo. Mas se a necessidade é cada vez menos frequente, fica a pergunta: quando decantar?

    Esse é um assunto controverso, e não há verdade oficial e definitiva. Mas vamos “filosofar” um pouco a respeito.

    Poucos vinhos pioram com a decantação. Ainda mais quando sabemos que a maioria dos vinhos são bebidos jovens. A priori, todos os vinhos jovens beneficiam-se quando expostos ao ar, mesmo que não haja a necessidade real de fazê-lo. Vinhos envelhecidos são mais delicados, e precisam de mais cuidado. Uma longa decantação pode acabar com eles.

    De qualquer forma, o formato de tulipa das taças costuma ter tamanho suficiente para proporcionar o contato com o ar, quando giramos o vinho. Se quiser ler mais sobre o hábito de girar a taça, clique aqui.

    Mas talvez o maior motivo da decantação seja o ritual em si. O vinho em um belo decantador é, sem dúvida, uma linda visão, que pode tornar a degustação ainda mais prazerosa.

    Um vinho que apresenta sedimentos, ou eventuais pedaços de rolha, deve ser decantado. Vinhos muito tânicos, também. Para saber quais são os vinhos com mais taninos, e o que são taninos, clique aqui.

    Na opinião de alguns especialistas, abrir a garrafa de vinho 1 ou 2 horas antes de servi-lo já é o suficiente. Mas outros especialistas, entre eles o renomado e já falecido Émile Peynaud, consideram que simplesmente abrir a garrafa não faz o vinho respirar, sendo totalmente indiferente.

    Mas provavelmente uma das maiores dúvidas que paire no ar da decantação, é: e quando o assunto é vinho branco? Também essa pergunta não encontra consenso, nem entre especialistas. Alguns consideram que brancos jovens beneficiam-se da decantação, outros garantem que esses vinhos não ganham nada com isso. Mas o fato é que, se não ganham, raramente perdem. Então, a escolha é sua.

    Ah, mas não decante vinho algum, se ele não será inteiramente consumido, e você for conservá-lo para dali um ou dois dias.

    Então é assim, na maioria dos casos: Precisa? Não, não precisa. Pode? Sim, é claro que pode! Porem, cuidado para exagerar no dia-a-dia e prejudicar vinhos que seriam bons ou ate mesmo otimos.


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!