Uvas de Divinolândia, SP, geram o melhor vinho chardonnay do país

Prêmio ajuda a dar visibilidade para a produção na região Sudeste.

Epamig prevê a criação de um novo polo de vinhos de qualidade.

 

Antes, os alvos eram as cebolas e batatas, mas, assim que decidiu investir na plantação de uvas em Divinolândia (SP), o empresário Márcio Verrone encontrou o caminho para o sucesso. Sua primeira safra foi usada na fabricação de um vinho branco escolhido neste ano como o melhor chardonnay do país no "GP Vinhos do Brasil", uma conquista importante para o leste paulista.

“Abre uma nova oportunidade e um novo conceito de se fazer vinho que vai permitir a criação de um novo polo de produção de vinhos de qualidade para a escala brasileira”, avaliou o pesquisador Murilo de Albuquerque Regina, da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig).

 

Produção

O parreiral de Verrone fica na Serra da Mantiqueira, a 1,3 mil metros de altitude, onde a temperatura e o solo favorecem o cultivo de uvas.

“Os dias são quentes e, à noite, as temperaturas caem muito. Os dias quentes são transformadores do açúcar que se transformará, no futuro, no álcool do vinho, e noites frias são percursoras de aroma, é onde se faz uma diferenciação aromática”, explicou o gerente de produção, Marcelo José Grespan.

Além das condições propícias, outro ponto que explica o resultado é a aplicação de técnicas modernas de manejo. A sede da vinícola fica em São José do Rio Pardo e a fabricação do vinho ocorre em Caldas, no Sul de Minas Gerais, onde a Epamig oferece um programa de  incentivo à produção de vinhos finos.

Na fazenda experimental da empresa são feitas pesquisas para descobrir a melhor forma de cultivar e processar as uvas em regiões mais quentes do que o Sul do país, onde a produção de vinhos é tradicional.

O resultado desses estudos serve de apoio para os produtores, que também podem fabricar os vinhos na fábrica que a Epamig mantém, onde há estrutura para todas as etapas, desde a extração do suco, fermentação do vinho nas garrafas,  maturação da bebida nas barricas  e envase.

 

Novos vinhos

Outros vinhos da vínicola riopardense permanecem em Caldas, onde estão passando pelo processo de fermentação e maturação antes de irem para o mercado. Um deles é o espumante feito com uvas Chardonnay e Pinot Noir, que, segundo o empresário, tem tudo para ajudar o Sudeste a se consolidar como uma região produtora.

“Cada garrafa tem sua própria vida e, se você fala em safra nova, você tem um ano entre uma colheita e outra. Tudo muda e a qualidade também porque a uva vai ficando mais velha, vai se consolidando mais no solo, vai trazendo mais nutrientes do solo, [o que] faz com que ela tenha maior qualidade”, finalizou Verrone.


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!